10 Erros mais comuns – Parte I

 

  1 – Investir todo seu dinheiro em ações

Se você estiver começando, investir todo seu dinheiro em ações de uma vez é uma péssima ideia.

Ao colocar todos os “ovos na mesma cesta”, você não só aumentará o risco da sua carteira de ações, mas, o que é mais grave, ficará desprotegido.

E o problema pode ser agravado quando, além de investir apenas em um tipo de ativo (no caso, ações), você comprar ações de uma única empresa.

A recomendação é investir aos poucos e de forma regular, mas nunca tudo de uma só vez.

  1. Comprar e vender por emoção

dinâmica do mercado financeiro é influenciada por sentimentos de medo, pessimismo, ganância e euforia.

Para ser bem-sucedido, você não deve cometer o erro de se deixar levar pelo comportamento irracional. Não se deixe influenciar por notícias ruins, recomendações de analistas, relatório de corretoras, etc.

É importante você entender que o mercado financeiro se comporta irracionalmente no curto prazo. E você deve ser racional nas suas decisões.

3- Seguir as dicas “infalíveis” de outros investidores

Fique longe de atalhos, dicas “quentes” ou “segredos infalíveis” para obter sucesso no mercado de ações. Não dê ouvidos para recomendações de compra ou venda de ação de determinada corretora, muito menos de outros investidores. Eles podem estar agindo por interesse próprio.

Para ter sucesso como investidor, você precisa aprender a pensar por conta própria.

  1. Negligenciar taxas e custos de transações

Muita gente ao começar a investir em renda variável cai na armadilha de operar várias vezes ao dia.

Esse é um erro comum cometido pelos iniciantes. Lembre-se: quanto mais movimentações você realiza, menor tende a ser o retorno, pois os custos de transação corroem os seus lucros.

A dica é planejar bem as suas operações, a fim de reduzir ao máximo estes custos. Acredite: apesar de aparentemente baixo, o valor destas taxas pode acarretar prejuízo alto no longo prazo.

  1. Confundir especulação com investimento

Investir em ações é comprar participações em empresas com o objetivo de obter lucros. Quando você adquire estas participações, você está se tornando sócio destas empresas.

Especular, por sua vez, é o ato de realizar transações de curto ou médio prazo, aproveitando-se apenas das variações de preço para tomar sua decisão. O especulador não se importa com os fundamentos da ação que está sendo negociada. Já o investidor, sim.

Não há nada de errado em especular, desde que você não confunda os dois e, principalmente, tenha experiência no que está fazendo. Tanto os investidores quanto os especuladores são importantes para a dinâmica do mercado.

Ambos se completam para que as operações de compra e venda se realizem. Descubra quem você deseja ser – sem confundir os dois conceitos – e vá em frente.

 

Clique abaixo para continuar para a Próxima Página

10 Erros mais comuns – Renda Variável Parte II